SUICÍDIO: O desastre da humanidade sofredora

Na Bíblia temos uma série de casos de suicídio, mas o mais emblemático deles foi o de Judas, por envolver Jesus e sua morte.

NO ANTIGO TESTAMENTO TEMOS:

Abimeleque (Jz 9. 54): Aí ele chamou depressa o moço que carregava as suas armas e disse: — Tire a sua espada e me mate. Não quero que digam que fui morto por uma mulher. Então o rapaz tirou a espada e o matou.

Aitofel (2 Sm 17. 23): Quando Aitofel viu que o seu conselho não tinha sido seguido, arreou o seu jumento e voltou para a sua cidade. E, depois de pôr os seus negócios em ordem, enforcou-se. E foi sepultado no túmulo do seu pai.

Saul (1 Sm 31. 4): Então disse ao rapaz que carregava as suas armas:
— Tire a sua espada e me mate para que esses filisteus pagãos não caçoem de mim e me matem. Mas o rapaz estava muito apavorado e não quis fazer isso. Então Saul pegou a sua própria espada e se jogou sobre ela.


Zinri (1 Re 16. 18): Quando Zinri viu que a cidade havia sido conquistada, foi para a fortaleza interna do palácio, pôs fogo no palácio e morreu queimado.

Observação: O caso de “Sansão” não é considerado suicídio, pois ele estava numa guerra, recebeu a força de Deus para derrubar as colunas, não foi uma atitude de autodestruição e o seu nome figura nos hérois da fé. (Jz 13. 5)

“Em todos os casos de suicídios consumados na Bíblia os personagens estão longe de Deus naquele momento”

NO NOVO TESTAMENTO TEMOS:

O relato do Evangelho de Mateus 27. 3-5 que narra a morte de Judas Iscariotes, um dos 12 discípulos de Jesus que resolveu tirar a sua própria vida após o seu ato de trair o Messias.

O texto diz:
3. Quando Judas, o traidor, viu que Jesus havia sido condenado, sentiu remorso e foi devolver as trinta moedas de prata aos chefes dos sacerdotes e aos líderes judeus,
4. dizendo: — Eu pequei, entregando à morte um homem inocente. Eles responderam: — O que é que nós temos com isso? O problema é seu.

5. Então Judas jogou o dinheiro para dentro do Templo e saiu. Depois foi e se enforcou.

“O sentimento de Judas ainda está presente no nosso tempo.”

Em Atos 1. 18, Lucas vai dizer algo mais sobre a Morte de Judas nos levando a pensar que o galho do local de onde ele pendurou a corda se quebrou e ele caiu de alto a baixo.

Veja:
18. (Com o dinheiro que tinha recebido pelo seu crime, Judas comprou um terreno. Nesse terreno ele caiu e se arrebentou, e os seus intestinos se esparramaram.

A partir do texto, algumas questões podem ser levantadas sobre o que ele estava pensando ao planejar esse ato tão terrível contra Jesus. Alguns dissem que “talvez ele estivesse pensando em pôr Jesus diante de uma situação que o levasse a liderar uma revolta contra Roma”, mas não há evidências concretas para afirmar tal coisa, no levando ao fato de que ele premeditou o ato ao escolher entregar Jesus num lugar mais isolado, sem interferências de outros e ainda se pôs como “acusador formal” diante dos religiosos.

Cabe resaltar que o papel dos sacerdotes era de agir como intercessores, de
ensinar o povo e ministrar os sacrifícios. Mas fugiram da sua missão se colocando como acusadores de um homem inocente e buscaram de todas as forças “usar”as leis romanas para matar Jesus. Ao prenderem o acusaram de blasfêmia (dizer-se filho de Deus), mas diante dos romanos disseram que ele afirmava ser Rei dos Judeus.

O fato é que quando Judas retornou ao templo, buscando o perdão do seu pecado, a fim de acabar com as consequências, ouviu deles no versículo 4 a seguinte frase: “O que é que nós temos com isso? O problema é seu”.

“Judas não aguentou o sentimento de culpa.”

Havia perdão para Judas, mas ele não aguentou aquele sentimento que se tornou mais forte do que ele.

Cabe ressaltar algumas soluções preventivas que Jesus põe a nossa disposição a fim de não pecarmos:

PRIMEIRO: JESUS SEMPRE NOS AVISA

“Judas foi avisado sobre o erro e as suas consequências.”(Mt 26. 20-25)

20. Quando anoiteceu, Jesus e os doze discípulos sentaram para comer.
21. Durante o jantar Jesus disse:
— Eu afirmo a vocês que isto é verdade: um de vocês vai me trair.
22. Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a perguntar:
— O senhor não está achando que sou eu; está?
23. Jesus respondeu:
— Quem vai me trair é aquele que come no mesmo prato que eu.
24. Pois o Filho do Homem vai morrer da maneira como dizem as Escrituras Sagradas; mas ai daquele que está traindo o Filho do Homem! Seria melhor para ele nunca ter nascido!
25. Então Judas, o traidor, perguntou:
— Mestre, o senhor não está achando que sou eu; está?
Jesus respondeu:
— Quem está dizendo isso é você mesmo.

SEGUNDO: JESUS NÃO GUARDA RANCOR

“Ele chamou Judas de amigo.”(Mt 26. 48-50)

Mesmo sabendo que Judas estava o traindo, Jesus mostrou seu amor e senso de missão ao chamá-lo de amigo sem uma atitude agressiva ou rancorosa.

48. O traidor tinha combinado com eles um sinal. Ele tinha dito: “Prendam o homem que eu beijar, pois é ele.”
49. Judas foi até perto de Jesus e disse:
— Mestre, que a paz esteja com o senhor!
E o beijou.
50. Jesus respondeu:
— Amigo, o que você vai fazer faça agora.

Então eles chegaram, prenderam Jesus e o amarraram.

TERCEIRO: JESUS NOS PERDOA E NOS DÁ UMA SEGUNDA CHANCE

“Judas foi avisado sobre o erro e as suas consequências.”(Mt 27. 4)

4. dizendo: — Eu pequei, entregando à morte um homem inocente.

Ao perceber o grande erro, Judas reconheceu o seu erro e tentou consertar as coisas, mas já era tarde, pois as conseguências já eram irreversíves. Nós precisamos medir as conseguências antes de cometer o ato, pois as mesma podem ter consequências irreversíveis.

Em Provérbios 28.13 nos deparamos com um Deus amoroso que nos dá oportunidade da arrependimento e nos oferece misericórdia.

13. Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus temmisericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona. (Pv 28. 13)

Seja qual for o pecado de Judas, Deus já havia liberado o perdão, mas ele não teve capacidade com perceber.

“O suicídio só é possível quando por 1 minuto perdemos o olhar em Jesus.” Diego Araújo

“Vários motivos podem levar alguém ao suicídio. Normalmente, não é um motivo único, e sim um conjunto de situações e a pessoa tem necessidade de aliviar pressões como cobranças sociais, culpa, remorso, depressão, ansiedade, medo, fracasso, humilhação etc.” (Leia: Falando abertamente sobre Suicídio)

Dia após dia somos absorvidos por inúmeros sentimentos e problemas ao nosso redor, que nada mais são frutos do pecado em nós. Todas as mazelas do nosso século são geradas por um distanciamento do Criador e da Sua Glória.

Diante disso, o aumento das cobranças sociais, da culpa pelos erros cometidos, do remorso do pecado, da depressão, da ansiedade que nos faz correr o tempo todo, do medo do que os outros vão dizer ou fazer, do fracasso na vida que pode gerar humilhação e desprezo, etc.

Sendo assim, como pensar em suicídio é uma coisa que faz parte da natureza humana, a consumação do ato só será possível quando diante do conflito entre o desejo de acabar com o sofrimento e a vontade de viver, se escolhe o suicídio por parece a única saída ou a mais instantânea para resolução do problema.

Os estudos apontam que alimentar alguma crença espiritual ou religiosa é um fator de proteção contra o suicídio. Em meio a crise, a decisão de autodestruição pode ser atenuada ou eliminada se estivermos com o olhar fixo em Jesus, que em momento nenhum nos culpa, nos discrimina, nos atemoriza, nos julga, nos acusa ou deixou de nos amar.

Olhar fixamente para Jesus e buscar apoio profissional, espiritual e suporte familiar é fundamental para prevenir os índices de suicídio.

NÃO PERCA O SEU OLHAR EM JESUS NEM POR UM MINUTO!

Diego Araújo.

Categories:

No responses yet

Deixe uma resposta